fundo-bis-logo-01.png

Fundo BIS

O Fundo BIS surgiu para apoiar, com recursos financeiros, a implementação e o desenvolvimento de soluções que ajudem a criar um ambiente favorável à cultura e à prática da doação no país, levando mais e mais pessoas a se tornarem doadoras de recursos para causas sociais, ambientais, científicas e culturais de finalidade pública, incluindo negócios de impacto.

História e Governança

Impulsionada pelo Movimento por uma Cultura de Doação, a iniciativa nasceu de um grupo de organizações da sociedade civil com reconhecida atuação no campo socioambiental. A partir dessa construção, o Grupo de Institutos Fundações e Empresas (GIFE) tornou-se o responsável pela realização e gestão do Fundo.

A governança do Fundo BIS inclui ainda um Comitê de Seleção, formado por voluntários que, além da reputação no setor, são ativistas da causa de doação de recursos para iniciativas públicas da sociedade.

“A sociedade civil organizada precisa ser vista como um setor que contribui para o desenvolvimento do país, da mesma maneira que se olha para o turismo, a cultura etc.”

– Paula Fabiani

1/1

Duas edições realizadas

A primeira edição do Fundo BIS foi realizada em 2017 e selecionou quatro projetos: Viralize, que conecta influenciadores digitais, organizações da sociedade civil e pessoas que querem apoiar causas sociais e ambientais; Marco Bancário de Doação, destinado a promover a inclusão financeira do terceiro setor; Pesquisa Comportamental sobre Doadores de Alta Renda; e Arredondamento no E-commerce, criado para facilitar micro doações em compras pela internet por meio do arredondamento de centavos. 

Dois anos depois, foi lançado o edital da segunda edição, com a distribuição de R$ 240 mil a projetos de plataformas, ferramentas, soluções e serviços inovadores que facilitem o encontro entre doadores e destinatários de recursos e ampliem a confiança, qualidade e eficiência nas relações entre doadores e organizações da sociedade civil que executam projetos.