No Mês da Filantropia Negra, MCD fomenta debate sobre práticas de doação antirracistas





Divulgação



No próximo dia 23 de agosto, às 17h (horário de Brasília) o Grupo de Trabalho Antirracista do Movimento por uma Cultura de Doação (MCD) realiza o debate ‘Como a sua prática de doação pode estar promovendo o racismo’. Essa ação quer provocar reflexão sobre um tema tão necessário para a evolução da filantropia no Brasil de forma justa e igualitária.


O debate terá participação de Aline Odara, idealizadora do 1º Fundo Filantrópico de Mulheres Negras do BR, e Gelson Henrique, Coordenador Executivo da Iniciativa PIPA; com mediação comentada por Mariana Brunini, coordenadora-executiva do MCD.


Seguindo a ideia de que ‘não basta não ser racista, é preciso ser antirracista’, o debate vai tratar de como nossas práticas contribuem para o apagamento histórico de pessoas pretas e populações periféricas. Também serão discutidas as práticas do investimento social privado e da filantropia para equidade racial.



A atividade é um evento paralelo e complementar ao Mês da Filantropia Negra, organizado pelo GIFE (Grupo de Institutos, Fundações e Empresas), em parceria com a The WISE Fund. O tema desta edição será ‘Força - A urgência do agora; do sonho à ação’. "Enquanto houver racismo institucional, não haverá filantropia com F maiúsculo" defendeu Cássio França, secretário-geral do GIFE, durante a abertura do evento.


O Grupo de Trabalho Antirracista do MCD, formado por voluntários que integram o Movimento, se dedica a trocas de experiência e formulação de propostas que estimulem o debate sobre a equidade racial na promoção da Cultura de Doação no Brasil.


Inscreva-se aqui!


horizontal-shot-of-pretty-woman-with-pleasant-smile-on-face-enjoys-online-communication-on
horizontal-shot-of-pretty-woman-with-pleasant-smile-on-face-enjoys-online-communication-on

Cadastre seu e-mail

E acompanhe as novidades sobre cultura de doação.